English plantillas curriculums vitae French cartas de amistad German temas para windows Spain cartas de presentación Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Final de semana será de chuva

Jornal Agora

As altas temperaturas registradas nesta quinta-feira, 29, levaram diversas pessoas para a orla da praia do Cassino. Grupinhos tomando chimarrão, famílias com crianças tomando banho de sol e homens pescando foram as cenas mais comuns à beira-mar.
Também houve aqueles que aproveitaram para caminhar, correr, pedalar ou praticar frescobol. Alguns, mais corajosos, aproveitaram o calor para dar um mergulho, quase como acontece em um dia de semana típico de verão. No entanto, as temperaturas deverão baixar e o final de semana será chuvoso, conforme informações do Instituto de Meteorologia da Furg.
De acordo com a meteorologista Natália Pereira, do Instituto de Meteorologia da Furg, a máxima temperatura registrada hoje, 29, foi de 28,9ºC por volta das 15h. No começo da manhã, os termômetros marcavam 18ºC e o céu era azul e sem nuvens, anunciando a tarde ensolarada de calor agradável. No entanto, conforme a meteorologista, uma frente fria começaria a entrar no fim do dia e a madrugada teria pancadas de chuva. A previsão para sexta, sábado e domingo é de chuva e as temperaturas devem baixar. Hoje os termômetros deverão oscilar entre 14ºC e 17ºC.
Por Tatiane Fernandes
tati@jornalagora.com.br

SMS anuncia os dias e os locais para pesagens do Bolsa Família em outubro


A Secretaria Municipal de Saúde (SMS), através da coordenação da Política Nacional de Alimentação e Nutrição, começa o acompanhamento e a pesagem dos beneficiários do Bolsa Família – 2ª vigência de 2011 do mês de outubro.

Devem comparecer às pesagens as crianças até 7 anos e as mulheres de 14 a 45 anos, portando os seguintes documentos: carteira de vacina de todos menores de 18 anos; certidão de nascimento dos menores de 5 anos; Cartão do benefício, documento de identidade ou CPF.

O acompanhamento faz-se obrigatório para a manutenção do benefício, sendo realizado duas vezes por ano: uma na 1ª vigência, até junho, e outra na 2ª vigência, até dezembro. Qualquer dúvida, entrar em contato com a coordenação do Programa de Alimentação e Nutrição pelo telefone 3233.8478, ramal 8505.

Mês de outubro (2ª vigência)
06/10 – Escola Wanda Rocha – Cassino
10/10 – Escola Almirante Tamandaré – Parque Marinha
14/10 – Posto da Profilurb
17/10 – Posto de Saúde Santa Tereza
18/10 – Posto de Saúde Domingos Petrolini
21/10 – Posto de Saúde Taim
25/10 – Posto de Saúde Ilha da Torotama
25/10 – Escola Ernesto Bucholz – Bairro: Bucholz
27/10 – Posto de Saúde Caic
31/10 – Posto de Saúde da Barra

Novas rótulas em Rio Grande

Foto: Deyver Dias
Jornal Agora

Devem entrar em funcionamento, a partir da próxima segunda-feira, 3, as duas rótulas que estão sendo construídas no centro da cidade. A primeira está localizada na esquina da Benjamin Constant com a Dr. Nascimento, e a segunda, na General Câmara com Benjamin Constant. Segundo o secretário municipal da Segurança, dos Transportes e do trânsito, Enoc Guimarães, elas devem começar a funcionar tão logo o tempo permita que suas instalações sejam concluídas. O secretário informa ainda que uma terceira deve entrar em funcionamento no entroncamento da avenida Silva Paes com Almirante Barroso. "Naquele local, já estamos trabalhando nos bueiros e na adequação da praça e, dentro de um mês, o trabalho deve estar concluído", garante.

Promotor pede que população ajude a conter preço da gasolina

Foto: Deyver Dias/JA
Jornal Agora

O promotor José Alexandre Zachia Alan, da Promotoria de Justiça Especializada do Rio Grande, comentou, em um blogque mantém com outros colegas promotores, sobre o resultado de uma ação que tramita no Judiciário atacando preços supostamente abusivos no comércio de combustíveis em Rio GrandeNa postagem no blog, Zachia Alan destaca que, mesmo de forma liminar (já que a ação ainda não foi julgada no mérito), os motoristas já podem se beneficiar, uma vez que ao menos um dos postos réus nos vários procedimentos abertos tem, por força de decisão liminar, que manter margem de lucro limitada a 16,2% sobre o preço de aquisição da gasolina comum.
A ação foi ajuizada em princípio contra a Abastecedora Carvalho (revenda localizada à rua Benjamin Constant, esquina com Riachuelo). Agora, o comércio atende sob o nome de Posto Estoril. No despacho liminar, em primeiro grau, a juíza Fúlvia Beatriz de Souza Thormann destacou que as margens de preços em Rio Grande, de acordo com estudo do Ministério Público, realmente são maiores do que a média do estado. Disse ainda que os custos no Município, em geral, não são diferentes dos de outras cidades, o que não justificaria preços maiores cobrados aqui. A juíza lembrou inclusive o fato "notório" de termos uma refinaria operando na cidade. "Assim, fácil concluir que é o próprio mercado, agindo livremente, que estipulou a margem bruta de lucro razoável no setor. De onde se conclui, também, que o percentual pleiteado na liminar não é fruto de delírio do Ministério Público, ou que tenha sido apontado arbitrariamente. Não; é percentual, margem de lucro, ditada pelo próprio mercado do setor!", ponderou, decidindo liminarmente pela limitação dos preços.
Após a antecipação de tutela, a defesa da revenda interpôs Agravo de Instrumento, mas foi derrotada por maioria, na 19ª Câmara Cível do TJ, que negou provimento ao posto (em agosto de 2009). Em seu voto, a desembargadora Mylene Maria Michel afirmou que "é inconcebível que os lucros alcancem estratosférico e injustificado patamar, em especial porque, tudo indica, os consumidores ficam sem maior possibilidade de escolha na cidade" [do Rio Grande]. O posto interpôs novos recursos (Especial e Extraordinário), mas ambos tiveram seguimento negado pelo TJ, mantendo dessa forma a decisão liminar que determina o limite da margem de lucro do posto.
No blog, o promotor alerta à população que esta é uma vitória apenas parcial, limitada a apenas um posto. Mas lembra que, se a população fizer sua parte, a tendência é que a concorrência leve outras revendas a também baixarem seus preços. "Caso os consumidores passem a abastecer no Posto de Gasolina em questão o preço da cidade naturalmente irá cair. Caso, contudo, os consumidores não mudarem sua atitude, o preço seguirá muito mais alto do que em outros lugares e não vai haver solução mais imediata", destacou Zachia Alan. "Em outras palavras, o Ministério Público está fazendo a sua parte. Resta saber, então, se o consumidor fará a sua. Se fizer, o preço baixará mais rápido", conclui.

Preço
Nesta quinta-feira, a gasolina comum era vendida no posto Estoril a R$ 2,902 o litro. O responsável pela revenda preferiu não se manifestar, afirmando apenas que tem cumprido à risca a decisão liminar.
Por Germano S. Leite

Mais de 100 mil correspondências paradas nas agências da ECT do Rio Grande

Jornal Agora

Os carteiros do Rio Grande, Pelotas e Capão do Leão uniram forças na manhã desta sexta-feira, 30, na realização de uma passeata no centro. Os grevistas concentraram-se na Praça Dr. Pio e levaram a manifestação pelas principais ruas com o objetivo de mostrar à população, o porquê da paralisação. Durante o percurso, entregaram à população, folhetos explicativos do movimento.
O delegado do Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Correios e Telégrafos (Sintect), Núcleo Rio Grande, Alessandro Antunes, informa que nenhuma questão, nem a financeira, será negociada sem antes ser resolvido o pagamento dos dias de greve. "Tinha sido acordado que o acerto dos dias parados seriam condicionados à colocação da correspondência em dia. Acontece que a empresa descontou em folha os dias parados e não entramos em nenhuma outra questão sem antes resolvermos esta", diz Antunes.
A Justiça dos estados do Rio de Janeiro, de São Paulo e de Minas Gerais (que concentram metade do efetivo dos Correios), entre outros, indeferiu pedido de liminar dos sindicatos para evitar o desconto dos dias parados dos grevistas. O pagamento foi realizado normalmente na sexta-feira, 30, segundo informações da assessoria de imprensa da ECT. Os Correios propuseram ainda o parcelamento do desconto dos dias parados, na proporção de um dia de greve por mês. A proposta está condicionada à aprovação nas assembleias dos trabalhadores e à assinatura do acordo coletivo 2011/2012.
Os grevistas denunciaram que os carteiros que estão atuando hoje, nos mutirões são reabilitados, que tiveram que trocar de função por orientação médica e que estão desempenhando novamente a função. "Isso é crime e uma forma de dizer para a população que tem carteiro na rua trabalhando, o que não é verdade. E este pessoal está prejudicando a eles mesmo, ao INSS e a nós, que lutamos pela categoria", salienta Antunes.
O líder sindical rio-grandino registra que no Brasil, mais de 100 milhões de correspondências estão paradas nas agências da ECT em todo o Brasil. Na cidade do Rio Grande existem aproximadamente um volume de 100 mil correspondências paradas nas duas agências. "Sabemos que em situações como estas, são priorizados a entrega do Sedex e as contas de luz", salienta Antunes.
Uma das reivindicações dos grevistas se relaciona à contratação imediata de 30 mil carteiros em todo o Brasil. "E para o Rio Grande, está marcada a vinda de oito, sendo que há necessidade de pelo menos 30", frisa o líder sindical. As outras reivindicações referem-se a reposição salarial de 24.16%; revogação da Medida Provisória 532, que autoriza os Correios a constituir subsidiária, ou seja, terceirização de setores.
A contratação de equipe para entrega de contas de luz é outra reivindicação que os grevistas consideram como prioritária. Antunes frisa que na cidade do Rio Grande havia, há 15 anos, uma equipe de cinco carteiros só para a entrega das contas de energia elétrica. Atualmente, são entregues 70 mil e não há equipe específica para isto, pois o serviço foi anexado a entrega da correspondência normal.

Conciliação
Em reunião com o comando da Federação Nacional dos Trabalhadores na Empresa de Correios e Telégrafos (Fentect), na quinta-feira, 29, a ECT propôs aumento linear de R$ 80 a todos empregados, reajuste salarial e dos benefícios em 6,87% e abono imediato de R$ 500. O reajuste representa 9,9% de ganho real no salário base inicial de agente de Correios, proposta não aceita pelo comando de negociação.
Em função disto, os Correios, conforme a assessoria de imprensa, não encontraram outra alternativa a não ser propor a conciliação junto ao Tribunal Superior do Trabalho (TST). A empresa acredita que no TST, os Correios e os trabalhadores terão, novamente, mais uma oportunidade de finalizar um acordo, em audiência de conciliação, com a mediação judicial.
Por Anete Poll
anete@jornalagora.com.br

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Dilma assina MP que concede incentivos fiscais a fabricantes de equipamentos de defesa

Jornal Agora

A presidente Dilma Rousseff assinou na tarde de hoje (29) medida provisória (MP) que isenta empresas fabricantes de equipamentos de defesa do pagamento de tributos. De acordo com ela, um dos objetivos é reduzir a importação de produtos para as Forças Armadas.

“Não queremos produzir só para o Brasil. Temos clareza que a nossa capacidade de sermos competitivos está baseada no fato de sermos capazes de exportar. [A medida] vai ter esse duplo efeito: de afirmar a indústria, mas também de fazer com que tenhamos uma balança comercial mais equilibrada”, disse Dilma, durante cerimônia no Palácio do Planalto.

De 2000 a 2010, o Brasil importou US$ 2,37 bilhões em equipamentos militares, contra US$ 470 milhões de exportações no mesmo período – déficit de cerca de US$ 1,9 bilhão, segundo dados do Ministério da Defesa.

Dilma destacou que investir na indústria de defesa nacional é “estratégica para a nossa soberania”.

O ministro da Defesa, Celso Amorim, disse que a isenção tributária fortalecerá a capacidade do Exército, da Aeronáutica e da Marinha de proteger os recursos do país.

“Vivemos hoje em um mundo muito complexo, um mundo em que a gente não sabe de onde vem as ameaças, mas a gente sabe os recursos que temos de proteger”, assinalou Amorim.

Para o presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Defesa e Segurança (Abimde), Orlando Neto, as novas regras darão mais condições ao empresariado brasileiro para competir com os estrangeiros. “A base industrial de defesa nunca pleiteou privilégios ou clamou por favores ou ajuda do governo. Ao contrário, sempre batalhou para que houvesse igualdade de oportunidades e de competição.”

De acordo com o governo federal, os fabricantes de produtos militares ficarão isentos, por cinco anos, do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), Programa de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PIS/PASEP) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins). A isenção vale também para compra de insumos, inclusive importados.

Para ter direito ao benefício, as empresas precisam ter sede ou fábrica no Brasil, comprovar conhecimento tecnológico na área, ter registro no Ministério da Defesa e produzir equipamentos considerados estratégicos e de difícil obtenção, como munição, armas, aviões, satélites, foguetes, fardas, veículos e rações.

De acordo com o Ministério da Defesa, 186 empresas se encaixam dentro dos requisitos exigidos.
A medida provisória vigora a partir da publicação no Diário Oficial da União.
Por Ag. Brasil

Enterramento definitivo dos cabos deve ser concluído em fevereiro

Jornal Agora

A linha aérea de transmissão de energia elétrica do Rio Grande para São José do Norte, que atravessa o canal de acesso ao porto rio-grandino, apesar de desativada, ainda não foi removida. A Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) está mantendo-a no lugar por medida de segurança, uma vez que a linha subaquática está energizada e abastecendo o município nortense desde o final de fevereiro, mas sua implantação está em fase de consolidação. O consórcio formado pelas empresas Prysmian Energia, Cabos e Sistemas do Brasil S/A e Lig Global Service Ltda, responsável pela obra, ainda está trabalhando no enterramento definitivo dos quatro cabos subaquáticos. Conforme o chefe do Centro Regional Litoral Sul da CEEE, Cleide Rodrigues, a ideia é manter a linha aérea até a conclusão da obra para o caso de ocorrer algum problema com a subaquática.
O consórcio já realizou o enterramento definitivo de metade (700 metros) de cada um dos quatro cabos subaquáticos de energia, desde o lado de São José do Norte até a chegada ao canal de acesso. E atualmente, está fazendo esse trabalho no trecho da travessia do canal, onde é mais difícil devido à correnteza e exige a transferência da energização do cabo a ser enterrado para outro. Luiz Marcolin, do consórcio, diz que a expectativa é concluir toda a obra até fevereiro de 2012.
Depois, a CEEE dará início à remoção do cabeamento aéreo e ao desmanche das torres. A linha subaquática é composta por quatro cabos isolados em XLPE com condutor de cobre e capa metálica de chumbo, sendo que um deles é usado como reserva para ampliar a confiabilidade e a segurança do sistema. Junto com os de alta tensão, foram instalados dois cabos com 24 fibras ópticas para a transmissão de sinais de telecomunicação.
A substituição da linha aérea, que estava em operação desde dezembro de 1993, visa a eliminar limitações de altura aos navios e a outras embarcações no canal de acesso ao Porto do Rio Grande e também interrupções no fornecimento de energia à comunidade nortense em decorrência da ação de ventos fortes na rede. Atualmente, por exemplo, ela é um dos problemas a ser resolvido para a entrada no porto do navio MT Welsh Venture, que será convertido em casco da plataforma P-58. A embarcação chegou em Rio Grande no último dia 20 e está fundeada a 12 milhas da entrada do porto. Como o navio está com altura de 59 metros, os responsáveis pelo plano de ingresso dele no porto estão verificando a que altura estão os cabos aéreos do nível do canal para definir que medida adotarão.
Cleide Rodrigues afirma que, se for necessário, a linha poderá ser tracionada (esticada), para ficar mais alta, ou removida. Segundo ele, a empresa que faz esse serviço ainda está contratada. Os cabos subaquáticos foram instalados no fundo do estuário da Lagoa dos Patos e do canal de acesso, desde a margem nortense até a rio-grandina. Em terra, nos dois lados, foram interligados a outros, subterrâneos, para a transição. Cada cabo subaquático foi implantado a uma distância de 25 metros um do outro na travessia do canal para garantir a segurança. A implantação da linha subaquática foi iniciada na metade de 2010.
Por Carmem Ziebell
carmem@jornalagora.com.br

Plano de entrada do casco da P-58 está em fase final

Jornal Agora

O navio MT Welsh Venture, que será convertido em casco da plataforma P-58, permanece fundeado a 12 milhas da entrada do porto rio-grandino. A embarcação chegou na área do Rio Grande no último dia 20, mas o ingresso no porto exige planejamento detalhado, considerando suas dimensões, a antiga linha aérea de transmissão de energia elétrica para São José do Norte, que atravessa o canal de acesso e ainda não foi removida, e a existência de pontos de assoreamento no trajeto. O plano de entrada está elaborado, mas para finalizá-lo são aguardados os resultados de serviços de batimetria em dois pontos do canal e de telemetria dos cabos aéreos. Esses serviços foram contratados pela Petrobras.
A telemetria, para verificação da altura dos cabos aéreos em relação ao nível da água, está concluída, mas o laudo ainda não foi entregue. A batimetria, que indicará as condições de assoreamento próximo ao Porto Novo e embaixo da linha aérea, deve ser terminada nos próximos dias. Assim que essas informações estiverem disponíveis, elas serão incluídas no plano, e, após a finalização deste, será definida a data de entrada do navio no porto rio-grandino. A embarcação está com 59 metros de altura. Dependendo destes dados, será estabelecido se o navio irá passar por baixo dos cabos aéreos, se estes serão removidos ou tracionados para a passagem dele ou se ele passará pelo lado do canal.
O capitão dos portos do Rio Grande do Sul, Sérgio Luiz Correia de Vasconcelos, estima que até o dia 10 de outubro o Welsh Venture entre no porto. Quando entrar, o Welsh Venture deverá atracar na ponta Sul do Porto Novo. Ele será convertido em casco da P-58 pela Queiroz Galvão, que também vai construir os módulos de geração e elétrico dessa plataforma e fazer a integração de todos os módulos no casco, inclusive dos que serão construídos no Rio de Janeiro. A empresa fará esse serviço em uma área ao lado do canteiro de obras da Quip, em Rio Grande.
A P-58 será uma plataforma do tipo FPSO (sigla em inglês para plataforma flutuante que produz, processa, armazena e escoa petróleo) e será instalada no norte do Parque das Baleias, no Espírito Santo. Terá capacidade de produção de 180 mil barris de óleo/dia e de compressão de 6 milhões de metros cúbicos de gás/dia. O investimento no projeto dessa plataforma será superior a 1,3 bilhão de dólares.
Por Carmem Ziebell
carmem@jornalagora.com.br



quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Greve dos bancários fecha oito agências em Rio Grande

Jornal Agora

Bancários ligados ao Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários do Rio Grande (Seeb/RG) aderiram à greve nacional da categoria, iniciada ontem. Em decorrência do movimento, ficaram totalmente fechadas oito agências localizadas no centro da cidade: do Bradesco, HSBC, duas do Itaú, três do Santander e a da Caixa Econômica Federal (CEF) da rua Marechal Floriano. Nas agências do Banrisul da Marechal Floriano e do Banco do Brasil centro, a adesão foi parcial e elas permaneceram abertas.
Conforme Rosaura Contreira, da diretoria do Seeb/RG, a greve continua por tempo indeterminado e o movimento deve crescer nesta quarta-feira. Ela observa que ainda há agências que não pararam e a intenção é de que aumente a adesão dos bancários do Município. A categoria entrou em greve após várias rodadas de negociações frustradas com a Fenaban, CEF e Banco do Brasil. Os funcionários do Banrisul também rechaçaram a proposta que lhes foi oferecida segunda-feira.
Por Carmem Ziebell
carmem@jornalagora.com.br

Refinaria Riograndense inaugura nova unidade

Jornal Agora

Em ato interno realizado na tarde de hoje, 27, do qual participaram fornecedores, clientes, representantes de entidades empresariais, autoridades e empregados, a Refinaria de Petróleo Riograndense oficializou o início da operação de sua Unidade de Solventes Leves. Trata-se de uma nova planta industrial, com capacidade para produzir 4.700 metros cúbicos/ano de N-Pentano e 4.700 metros cúbicos/ano de I-Pentano. Segundo a empresa, essa unidade permitirá que a companhia amplie sua participação no mercado de produtos especiais, tornando-se a única produtora nacional desses solventes que são largamente utilizados por indústrias de transformação nas áreas química e petroquímica. Até o momento, a indústria nacional é totalmente dependente de importações para obtenção desses produtos.
A unidade entrou em funcionamento no início deste mês. O projeto, a fabricação dos equipamentos e a montagem industrial da Unidade de Solventes Leves foram concluídas em agosto de 2011. Sob a liderança dos profissionais da Refinaria de Petróleo Riograndense, a obra foi executada em 15 meses por empresas locais e representou um investimento de R$ 7,5 milhões. Conforme o presidente do Conselho de Administração da refinaria, João Adolfo Oderich, essa nova produção além de substituir importações, vai representar competitividade para a empresa e significará o que ela vem perseguindo: a sua sustentabilidade.

O diretor-superintendente da Refinaria de Petróleo Riograndense, Hamilton Romanato, observou que o evento de ontem marca a retomada da vocação da empresa em atuar em produtos especiais. É um projeto "que abre nova linha de negócios para a refinaria, que passa a poder atuar em mercados mais competitivos e nos quais ela tem caminhos bem positivos para seu futuro". Segundo ele, essa vocação para trabalhar produtos especiais sempre existiu, mas não era prioritária. A Refinaria de Petróleo Riograndense S/A é a sucessora da Refinaria de Petróleo Ipiranga S/A na atividade de refino e produção de derivados de petróleo em Rio Grande.
Desde 2008, quando ocorreu o processo de transferência do controle acionário da Companhia, a gestão da Refinaria Riograndense passou a ser compartilhada pela Braskem, Petrobras e Ultra. Atualmente, a refinaria conta com 326 funcionários. Segundo Romanato, em 2007 ela tinha em torno de 200 funcionários e nos últimos três anos foram criados 150 novos postos de trabalho em operação, manutenção, inspeção de equipamentos e área administrativa. A Refinaria Riograndense tem alcançado sucessivos recordes de processamento de petróleo e de entregas de derivados, segundo Romanato.
Por Carmem Ziebell
carmem@jornalagora.com.br

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Palestra orienta sobre como evitar acidentes domésticos

Foto: Deyver Dias/JA
Jornal Agora

Acidentes domésticos são cada vez mais comuns entre os idosos. Segundo dados do Sistema Único de Saúde (SUS), a cada 100 idosos que sofrem acidentes e são atendidos na rede pública de saúde, 85 se machucam em casa. Tendo em vista esses dados, na segunda-feira, uma palestra buscou orientar idosos de grupos do Município. A atividade, que integrou a Semana Municipal do Idoso, foi uma promoção do Sesc juntamente com a Igreja do Salvador.
A palestra “Maturidade Ativa: Viva em harmonia e evite acidentes domésticos” foi realizada pelo técnico em segurança do trabalho José Rui Araújo. Durante a palestra, ele expôs os acidentes que podem acontecer com eletricidade, gás, velas, afogamento, produtos químicos, entre outros. Segundo Araújo, a necessidade de realizar palestras para esse público surgiu depois de perceber que, dentro das empresas e das indústrias, não acontece tantos acidentes como acontecem em casa.
No caso dos idosos, segundo ele, os acidentes mais comuns são tombos, cortes, choque elétrico e queimaduras na cozinha. Durante a palestra, o técnico em segurança do trabalho também deu dicas para que os idosos se mantenham longe dos acidentes como: utilizar barras de apoio no banheiro e também nas escadas (corrimão), piso antiderrapante, substituir degraus por rampas e ter sempre uma iluminação rasteira, para que os idosos não transitem no escuro.
Jaci Batista Silva, de 78 anos, que faz parte do grupo Maturidade Ativa do Sesc, conta que resvalou em um tapete em sua casa, caiu e machucou o joelho. A queda agravou o problema de artrose que ela tem. “Moro com minha filha e, quando eu caí, ela retirou todos os tapetes da casa”, afirma. Com a palestra, ela conta que aprendeu novas formas e cuidados para evitar os acidentes em casa. “Foi maravilhosa”, afirma.

Nesta terça-feira, 27, acontece um Circuito de Atividades Físicas para a melhor idade no ginásio da Praça Saraiva. A atividade faz parte da programação da Semana do Idoso.
Por Melina Brum Cezar
melina@jornalagora.com.br

Grevistas pedem apoio aos vereadores


Os grevistas dos Correios, agência do Rio Grande, estiveram na Câmara de Vereadores, na tarde desta segunda-feira, 26, para pedir o apoio dos vereadores aos trabalhadores para que a empresa volte à mesa de negociação e uma moção de repúdio à intransigência da presidência e do ministro das Comunicações, Paulo Bernardo Silva, que comparou o movimento grevista com férias. "É inaceitável que, pertencente a um partido que se criou através das greves, o ministro dê uma declaração como esta", salienta Alesandro Antunes, líder sindical no Rio Grande. As moções serão colocadas em plenário para votação. "Todos os vereadores se comprometeram em assinar o documento", informa Antunes.
Na noite de quinta-feira, a empresa reapresentou a proposta feita antes do início da paralisação e conclamou os trabalhadores a retornarem às atividades e retomarem o diálogo para fechamento do Acordo Coletivo de Trabalho 2011/2012. A proposta inclui reajuste de 6,87% sobre o salário e os benefícios, R$ 50 de aumento linear a partir de janeiro de 2012 - o que representa um aumento de 13% para 60% dos trabalhadores - e R$ 800 de abono.
A ECT alega que a contraproposta protocolada pela representação sindical está acima das possibilidades orçamentárias da empresa e inviabilizaria a sustentabilidade da mesma. A contraproposta tem impacto de R$ 4,3 bilhões na folha de pagamento - um acréscimo de 70% no custo anual da folha.
Por Anete Poll
anete@jornalagora.com.br

Aprovado projeto de construção de shopping da Aquário em Rio Grande

Jornal Agora

A Prefeitura do Rio Grande anunciou, na tarde desta segunda-feira, 26,  a aprovação do projeto executivo para implantação de um shopping center do grupo Aquário Empreendimentos Imobiliários a ser construído em uma área de 14 hectares localizada entre o viaduto da linha férrea e o Parque São Pedro, ao lado da ERS-734. O anúncio foi feito pelo prefeito Fábio Branco, junto com o presidente da Aquário, Iboty Ioschpe, e Paulo Carneiro, da PCA Shopping Centers, parceira no projeto, durante coletiva à imprensa.
A previsão de construção do shopping projetado pela Aquário é de aproximadamente 24 meses. Como a estimativa é começar sua implantação em fevereiro ou março de 2012, Paulo Carneiro disse que em 30 meses, a contar de agora, o Município deve estar inaugurando o empreendimento. De acordo com o projeto aprovado, esse shopping terá cinco lojas âncoras, sendo uma delas um supermercado, cinco lojas semiâncoras, 135 lojas satélites, quatro salas de cinema, área de lazer, praça de alimentação com 20 unidades, mais dois restaurantes e 2.059 vagas de estacionamento.
A área construída será de 30,8 mil metros quadrados, sem contar o estacionamento, e a Área Bruta Locável (ABL) será de 21 mil metros quadrados. O investimento, somente no shopping, será de R$ 100 milhões. A expectativa é de que, em sua maturidade, o shopping center gere entre 2,8 mil e 3 mil empregos diretos. Pesquisa de mercado feita pela Gismarket para a Aquário mostra que uma cidade com população de 250 mil habitantes tem capacidade para um shopping de porte.
Esse shopping já foi projetado com capacidade para expansão. A intenção é que, numa segunda etapa, sua área construída seja ampliada para 50 mil metros quadrados e sua ABL para 29 mil metros quadrados. Os principais parceiros da Aquário serão a Cipasa, uma das mais tradicionais empresas de loteamento do País ligada ao fundo de investimento Prosperitas, e a Partage, braço imobiliário da família controladora da indústria farmacêutica Aché. Paulo Carneiro, da PCA Shopping Centers, destacou que o grupo está fortemente capitalizado para levar adiante o empreendimento.
O projeto todo para a área de 103 hectares adquirida pela Aquário entre o viaduto da linha férrea e o Parque São Pedro ainda prevê, em um segundo momento, a construção de hotéis e de um complexo residencial com capacidade para 25 mil habitantes, em residências e apartamentos. O crescimento que Rio Grande vem apresentando e sua imagem positiva no País atraiu o investimento. Carneiro relatou que agora que o projeto está aprovado pela Prefeitura, terá início o fechamento das estratégias comerciais. Ele não quis adiantar o nome das âncoras, mas afirmou que as mesmas já estão garantidas.
Por Carmem Ziebell
carmem@jornalagora.com.br

Cassino deverá ganhar novos contêineres de lixo


Até o próximo veraneio, cerca de 40 novos contêineres de lixo deverão ser colocados nas ruas centrais do balneário Cassino. A informação é do titular da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (SMSU), Paulo Rogério Mattos Gomes. O assunto deverá ser levado, nesta terça-feira, à Câmara Municipal pelo vereador Renato Albuquerque (PMDB), que solicita, em requerimento, a implantação dos coletores de lixo no balneário.
Segundo Gomes, o eixo central do Cassino, que vai da rua São Leopoldo à Beira Mar e da rua Lisboa à Rio de Janeiro, conta com 20 contêineres que foram recolocados no ano passado. O secretário informou que a SMSU adquiriu 200 novos coletores que serão entregues em outubro e, destes, cerca de 40 serão destinados ao balneário. A medida visa a atender as demandas da alta temporada.
Os demais contêineres serão colocados nos bairros Getúlio Vargas e Cidade Nova que, de acordo com Paulo Rogério, são os bairros que, no momento, merecem maior atenção, já que inúmeros contêineres encontram-se sem condições de uso. O problema acontece, segundo Gomes, principalmente por causa de vandalismos e do mau uso de cidadãos, que colocam entulhos de obras e outros materiais, além de operação incorreta dos caminhões de coleta.
Paulo Rogério informou que, em toda a cidade, 200 contêineres tiveram perda total em 2010. Neste ano, até o momento, cerca de 60 coletores ficaram inutilizados. De acordo com o secretário, os bairros que mais apresentam incidência de vandalismos são o centro e o Cidade Nova.
Por Tatiane Fernandes
tati@jornalagora.com.br

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Primeiro final de semana da primavera


Jornal Agora

Para aqueles que não gostam do inverno, a semana que passou foi especial. A primavera chegou causando certa preocupação no seu primeiro dia, mas, na sequência, fez a alegria dos rio-grandinos. O sábado, 24, de muito sol ajudou na realização dos eventos que aconteciam na cidade e deu um gostinho do que pode acontecer no decorrer da estação.

Também no sábado, o sol levou muitas pessoas até a beira da praia do Cassino, que aproveitaram os momentos quentes para tomar o tradicional chimarrão gaúcho e para a prática do surfe. A proximidade com o verão começa a mudar o cenário de uma das maiores praias em extensão do mundo, que volta a receber seus fiéis apreciadores.

Para esta semana, segundo o Climatempo, o sol deve perdurar durante a maior parte dos dias. A chuva pode aparecer no final de sexta-feira, 30, com pancadas à tarde e à noite. Durante a semana, as temperaturas máximas devem ficar sempre acima da casa dos 20°C e com tendência à elevação. Se na quarta-feira os termômetros chegam a marcar 25°C, na quinta, a previsão é de que a temperatura possa atingir os 29°C, calor que já prenuncia o verão que se aproxima.

Empresas rio-grandinas poderão ser parceiras na construção de casas da Engevix


Na última quarta-feira, 21, o Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Rio Grande (Sinduscon) realizou reunião-jantar que contou com a presença de diretores, de associados e do convidado especial, o engenheiro Marco Antonio Pinto Fº., diretor do Departamento de Construção da Engevix e responsável pelo projeto de construção de 6.700 unidades habitacionais no Município.

O objetivo do encontro foi de que a empresa, que aqui é responsável pelo Estaleiro Rio Grande (Dique Seco), possa contar com as construtoras locais como parceiras, uma vez que a intenção é de aproveitar o máximo possível o potencial existente na cidade. O Executivo explicou que a Engevix terceirizará boa parte dos serviços para a construção das casas e espera adesão das empresas rio-grandinas ao projeto.

O presidente do Sinduscon Rio Grande, Airton Viñas, disse que a receptividade das empresas foi a melhor possível, e elas poderão ter participação importante em várias atividades, como a terraplanagem, a linha de montagem, a parte elétrica e a instalação hidráulica.

De início, está prevista a construção de 900 casas populares no Bolaxa, ainda este ano. As demais 5.800 unidades deverão ser construídas no Cassino, próximo à área do futuro Oceanário.

Concurso público do Município tem confusão e acaba na polícia

Foto: Deyver Dias/JA
Jornal Agora

O concurso público da Prefeitura Municipal do Rio Grande realizado no domingo, 25, acabou na polícia. Dos quase quatro mil candidatos que realizaram as provas na Universidade Federal do Rio Grande, pelo menos 12 registraram queixa na Polícia Civil. Segundo informações obtidas, os motivos das reclamações eram de que a via de acesso à Furg estava interditada por conta do engarrafamento e os portões teriam sido fechados antes do horário, deixando candidatos de fora da prova.

Ainda segundo reclamações que chegaram até o Jornal Agora de candidatos, o site da Prefeitura não possuía todas as informações básicas para que os candidatos pudessem se preparar, como o local da prova. Ainda segundo eles, havia um link que redirecionava para um site da empresa contratada para realizar o concurso e que, durante os últimos dias, constava como “em construção”. Além disso, outros erros teriam sido constatados por candidatos, como o nome não estar nas atas e nas folhas escritas à mão para informar os locais de prova. Há relato de que uma candidata de Pelotas teria sido retirada da sala por não constar seu nome na ata, embora ela portasse ficha de inscrição e comprovante de pagamento.

Sobre a questão do trânsito, a Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Administração, alega que havia alertado que os candidatos se dirigissem cedo ao Campus Carreiros da universidade para evitar os problemas de congestionamentos da ERS-734. De acordo com o secretário Valdomiro Lima, o que aconteceu foi que muitas pessoas chegaram atrasadas e apresentaram a justificativa de que a polícia havia interrompido o trânsito por conta de cavalarianos. Mas concursandos reclamam que a falta de informações no site do concurso fez com que muitos parassem no portal de entrada da Furg, onde haveria um cartaz escrito à mão com dados sobre as salas.

Questionada, a PRE diz que a paralisação para passagem de cavalarianos não aconteceu em nenhum momento e o que apenas ocorreu era que o fluxo de veículos era grande e as pessoas precisaram entrar na fila. Segundo a comissão organizadora do concurso, a taxa de abstenção da prova deve ser divulgada até terça-feira.

Um dos candidatos que perdeu a prova, para o cargo de motorista, contesta a alegação do secretário da Administração. "Eu cheguei em frente à antiga Piemonte (concessionária Fiat próximo à Furg) por volta das 7h15min. Mesmo assim, fiquei preso na fila e acabei chegando em cima da hora", reclama o concursando, que prefere não se identificar, mas fez o registro de ocorrência na Polícia. Segundo ele, somente entre os pavilhões 1 e 2 da Furg, em torno de 100 concursandos não puderam prestar as provas. Ele relata que até mesmo fiscais de prova teriam chegado atrasados por conta dos problemas de trânsito e que, em ao menos uma das salas, a prova teria começado apenas às 8h25min.

A chefe do setor de concursos da SMA, Neuza Atallah, diz que existe o período de recursos e que não é no momento da prova que as coisas são resolvidas. “Temos um edital a seguir e, nele, existe o período de recurso”, afirma ela. Sobre as reclamações de que o site não funcionava, o representante da empresa Energia Essencial, empresa responsável pelo concurso, Rodrigo Ferreira, diz que diariamente, às 8h, o site era revisado e que, em nenhum momento, ele teria saído do ar. O secretário da Administração, Valdomiro Lima, diz que "nenhum outro problema", além dos atrasos, foi registrado.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Projeto testa tecnologias para reduzir captura acidental de albatrozes

Jornal Agora

Projeto Albatroz, organização não-governamental com uma base no Museu Oceanográfico, está implantando e testando na região duas tecnologias para reduzir a captura acidental de albatrozes e petréis em espinhéis (técnica de pesca industrial). Uma delas é o uso do toriline nas embarcações que utilizam espinhel. O toriline é uma linha de 130 metros de comprimento, com diversos feixes de fitas coloridas, preso na parte de trás da embarcação, que fica balançando e espanta as aves. A outra é uma mudança no sistema de pesos instalados nas linhas do espinhel. Consiste em colocar os pesos mais próximos (a dois metros) de cada anzol, para que eles afundem mais rápido, reduzindo a disponibilidade das iscas às aves.
A coordenadora-geral do projeto, Tatiana Neves, explica que o espinhel tem cerca de 80 quilômetros de extensão, de 800 a 1.200 anzóis e utiliza lulas e sardinhas como iscas, que são alimento para atuns e espadartes, mas também para albatrozes e petréis. Por isso, as aves perseguem as redes e, antes que estas afundem, mergulham para roubar as iscas. Às vezes, elas conseguem o objetivo e outras, são fisgadas, afundam e morrem afogadas. Tatiana diz que a captura acidental é responsável pela maior parte da mortandade desses animais no mundo. "A estimativa é que 300 mil aves são mortas por ano, das quais 100 mil são albatrozes", observa.
Como o albatroz tem vida longa e a reposição dessa ave é muito lenta, esse impacto está colocando-a em risco de extinção. Para se ter uma ideia de como a reposição é lenta, o albatroz errante, por exemplo, vive até 80 anos, porém começa a reproduzir com 10 ou 11 anos de idade e tem reprodução a cada dois anos. "Das 22 espécies de albatroz, 17 estão ameaçadas de extinção, sendo algumas criticamente. Estão na lista vermelha da União Internacional para Conservação da Natureza. Nosso trabalho é desenvolver tecnologias simples e baratas que, se adotadas por embarcações que pescam com espinhel, evitem a captura acidental", ressalta Tatiana.
A coordenadora lembra que a adoção dessas medidas por barcos de pesca que usam espinhel pelágico e que operam no Sudeste e no Sul do Brasil é determinada desde abril deste ano, pela Instrução Normativa Interministerial nº 4, dos Ministérios do Meio Ambiente e da Pesca e Aquicultura. E o Projeto Albatroz está auxiliando os pescadores a implementá-las.

 
Exposição
O Albatroz é um projeto nacional, que foi iniciado em Santos (SP), para tratar da conservação de albatrozes e petréis, e já tem bases em mais três estados: Santa Catarina (Itajaí), Espírito Santo (Itaipava) e Rio Grande do Sul (Rio Grande). Segundo Tatiana, Rio Grande é um lugar especialmente importante para essas aves, pois elas normalmente vêm da Antártica e ficam mais ao Sul. Esse ano, essa organização não-governamental completou 20 anos e, como uma ação comemorativa, está organizando, para janeiro, com apoio da Petrobras, uma exposição sobre os albatrozes no Museu Oceanográfico.
Por Carmem Ziebell
carmem@jornalagora.com.br

Candidatos realizam provas no domingo


Quase quatro mil candidatos participarão neste domingo, 25, do concurso público da Prefeitura do Rio Grande. As provas serão realizadas nos turnos da manhã e tarde nos pavilhões da Universidade Federal do Rio Grande (Furg). Ao todo, estão sendo disponibilizadas 107 vagas em diversas áreas como saúde, educação, engenharia, arquitetura, economia, dentre outras.
A Secretaria Municipal de Administração (SMA) alerta que os candidatos deverão estar no local da prova com pelo menos meia hora de antecedência. Pela manhã, 3,5 mil candidatos farão as provas, que começarão às 8h. Já no turno da tarde, os 400 candidatos restantes prestarão prova a partir das 15h.
Segundo a chefe do setor de concursos da SMA, Neuza Atallah, já foi solicitado à Noiva do Mar e à lancha que faz a travessia Rio Grande – São José do Norte, que disponibilizem mais horários para o transporte dos candidatos. Além disso, a Polícia Rodoviária Estadual e agentes de trânsito da SMSTT estarão mobilizados para prestar apoio na ERS-734, que deverá registrar um aumento de fluxo considerável nos horários que antecedem as provas.

Vagas
Os candidatos concorrem a cargos de nível Fundamental, Médio e Superior. Os cargos e as vagas disponíveis são os seguintes: médico generalista (15 vagas), médico pediatra (15 vagas), médico psiquiatra (02 vagas), médico reumatologista (02 vagas), médico dermatologista (02 vagas), bioquímico farmacêutico (02 vagas), técnico superior em artes (03), nutricionista (03), motorista (15 vagas), engenheiro civil (04 vagas), arquiteto (03 vagas), engenheiro eletricista (01 vaga), operador de máquinas agrícolas (03 vagas), operadores de máquinas rodoviárias (10 vagas), bibliotecário (01 vaga), secretário de escola (20 vagas), mecânico (05 vagas) e economista (01 vaga).

TJRS abre concurso público para cargo de guarda de segurança


O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul divulgou nesta sexta, 23, o edital de abertura do processo de seleção para o cargo de Guarda de Segurança, para preenchimento de 47 vagas. Os candidatos devem ter Ensino Médio completo e ser maiores de 18 anos. A remuneração salarial é de R$ 2.617,31, além de gratificação de risco de vida de R$ 916,05.
O concurso público será composto de Prova Objetiva e Prática. O exame objetivo terá questões de Língua Portuguesa, Conhecimentos Específicos, Tópicos de Legislação e Microinformática. E a prática abrangerá testes que avaliarão o condicionamento físico dos candidatos.
As inscrições serão disponibilizadas no período de 28/9 a 17/10, exclusivamente pela internet, através do site do TJRS (WWW.tjrs.jus.br) ou pelo endereço eletrônico da empresa organizadora do concurso: www.faurgs.ufrgs.br.
As provas objetivas serão realizadas no dia 20/11, em Porto Alegre, em locais e horários que serão divulgados posteriormente. Já as provas práticas têm previsão de serem aplicadas em abril de 2012.
O valor da taxa de inscrição é de R$ 55.

Ministério dos Transportes retoma contagem de veículos que circulam por rodovias federais

 Agência Brasil
Brasília - O Ministério do Transportes começa hoje (23) a segunda etapa da Pesquisa Nacional de Tráfego, que vai levantar quantos e como são os veículos que circulam pelas rodovias federais do país. Em parceria com o Exército, serão instalados 120 postos de contagem para avaliar 48 rodovias federais em 23 estados.
Durante uma semana, 24 horas por dia, todos os veículos que passarem pelos postos serão contabilizados e classificados. Alguns motoristas serão abordados para responder a uma pesquisa para identificação de origem, destino e informações socioeconômicas. A coleta de dados deverá fornecer informações para a versão 2011 do Plano Nacional de Logística e Transportes, que servirá para direcionar futuros investimentos no setor.
Na primeira fase da pesquisa, em maio, o governo registrou 1,6 milhão de passagens em 22 postos de coleta, a maioria (53,3%) feita por carros de passeio. As viagens de caminhões, incluindo os sem carroceria, somaram 38,4%. Os ônibus representam 2,8% do total do tráfego das rodovias federais, e as motos, 5,5%.
Os primeiros dados do levantamento revelam que a frota que circula pelas rodovias do país tem, em média, 6,8 anos de uso. Na categoria de veículos de carga, a média é maior, 8,9 anos.
Uma terceira etapa da pesquisa está programada para novembro. De acordo com Ministério dos Transportes, a divisão do levantamento em três períodos é feita em função da sazonalidade do escoamento de cargas, ligada às safras agrícolas.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Pinacoteca e Fototeca Municipal realizam exposições


Jornal Agora

A Pinacoteca Municipal Matteo Tonietti e a Fototeca Municipal Ricardo Giovannini integram a 5ª Primavera dos Museus, evento promovido pelo Instituto Brasileiro de Museus, órgão vinculado ao Ministério da Cultura (Ibram/MinC). Desde a segunda-feira, 19, duas mostras refletem a temática “Mulheres, Museus e Memórias”.

Na Pinacoteca Municipal, a comunidade pode conferir a mostra “O Olhar e a Forma na Expressão do Feminino”, na qual estão expostas obras de arte de diferentes artistas do Rio Grande e de fora do Município, que retratam a expressão e a forma do feminino em diferentes suportes. A exposição estará disponível para visitação até o dia 19 de outubro.

A 5ª Primavera de Museus é realizada entre os dias 19 e 25 de setembro, em 310 cidades brasileiras, e nesse período serão oferecidas 1.779 atividades em 589 instituições museológicas. A iniciativa tem como tema “Mulheres, Museus e Memórias”, abrindo espaço para a reflexão sobre como o gênero, a mulher e o feminino estão sendo pensados na contemporaneidade. O objetivo do evento, coordenado pelo Ibram e realizado pelas instituições participantes, é de sensibilizar as instituições museais e a comunidade para o debate sobre temas da atualidade.
 
Fototeca 
Já na Fototeca Municipal Ricardo Giovannini, a exposição do acervo da instituição tem como o tema “A mulher e o labor”. O tema escolhido vem evidenciar os diferentes papéis e a atuação da mulher na sociedade. As obras ficarão expostas até o dia 25 de setembro, na sala Abbeilard Barreto.

A Pinaconteca Municipal e a Fototeca estão localizadas na rua Marechal Floriano, 91, junto ao Centro de Cultura. Mais informações pelo telefone 3231.6399.

Inovações marcam desfile alusivo à Revolução Farroupilha


A chuva fraca que ocorreu em vários momentos da manhã de terça-feira, 20 de setembro, não intimidou os gaúchos do Rio Grande, que fizeram um desfile mais trabalhado, com inovações e maior participação. E o público prestigiou, ocupando as calçadas de cinco quadras - três da Marechal Floriano, onde ocorreu a parada, e duas da rua General Neto (saída para a dispersão). Parte das pessoas que assistiam usou guarda-chuva para se proteger da precipitação, mas a maioria não se mostrava incomodada com a chuva. A homenagem aos 176 anos da Revolução Farroupilha teve o desfile cívico-militar e o tradicionalista e durou quase duas horas e meia. As inovações foram o desfile temático do 6º Batalhão de Polícia Militar (BPM) e a 1ª Caminhada Farroupilha da 6ª Região Tradicionalista (RT).
A homenagem cívico-militar começou com a Banda da escola Marechal Mascarenhas de Moraes, seguida do desfile temático do 6º BPM, cujo tema foram os 75 anos desse Batalhão, que tem sede em Rio Grande. Na sequência, passaram pela Marechal Floriano representações dos militares do 6º BPM. A apresentação dessa corporação teve até lançamento de uma fumaça com as cores do Rio Grande do Sul. Também participaram a Polícia Rodoviária Estadual, a Polícia Civil, o Pelotão Ambiental, os Bombeiros, a 18ª Coordenadoria Regional de Educação, a Corsan, a CEEE, a Superintendência do Porto do Rio Grande, o Plano de Auxílio Mútuo (PAM) e a Banda da escola Lília Neves.

Antecedendo a apresentação dos cavalarianos, houve a 1ª Caminhada Farroupilha da 6ª RT, que contou com diversas prendas e peões de variadas faixas etárias. O desfile dos cavalarianos teve início por volta das 11h20min e só foi concluído perto das 13h. De acordo com o coordenador da 6ª RT, Alfredo Gross, mais de 2000 tradicionalistas de CTGs e DTGs participaram da homenagem ao 20 de Setembro, incluindo muitas mulheres e crianças. A grande participação de jovens foi destacada pelo coordenador. "O envolvimento da juventude mostra que tem eco o trabalho que realizamos para a continuidade da preservação da nossa cultura", observou.
O comandante do 6º BPM, tenente-coronel Carlos Alberto Brusch Terres, relatou que a ideia este ano foi tentar fazer um desfile mais contextualizado, com maior efetivo e com participação de representações inclusive de órgãos do Estado que antes não desfilavam. Esse objetivo foi estimulado pelo crescimento que o Município vem registrando em decorrência do Polo Naval e da expansão portuária.
Por Carmem Ziebell
carmem@jornalagora.com.br